pergaminho logo branco blog.png
  • Filipe Tasbiat

Pena, tinta e mãos à obra: sejam todos bem-vindos ao Pergaminho, meu novo blog


Há algum tempo que eu esperava por esse momento, a inauguração de um espaço exclusivo – e com a minha cara – no qual eu pudesse escrever sobre livros, histórias e as minhas descobertas diárias como escritor. Dediquei os últimos três anos à escrita dos meus livros, Abelardo: o bebê monstruoso de Adelaide Estes (2020) e Não comam os caracóis (não publicado, em fase de edição). O primeiro levou quase um ano; o segundo, apenas quatro meses, o que, para mim, é um feito e tanto considerando que a escrita não é minha ocupação principal e que só escrevo meus romances nas horas vagas. Por isso, estou muito contente com o andamento das minhas produções e espero conseguir manter o ritmo.


Muitas dessas "horas vagas", nas quais minhas histórias tomaram forma e personagens como Adelaide, Abelardo, Cravo e, mais recentemente, a srta. Trude ganharam vida, se passaram em madrugadas silenciosas na frente do computador, na companhia exclusiva de uma xícara quente de café. A jornada de um escritor é solitária. Por isso, quando terminei de escrever Não comam os caracóis, o primeiro de uma série de sete livros policiais ambientados no Brasil Imperial que estou planejando, percebi que essa longa jornada que me espera não precisaria ser, necessariamente, solitária.


E se houvesse um lugar onde eu pudesse compartilhar os momentos, os sentimentos, os desafios, as decepções, as euforias da escrita com mais pessoas? E se, neste espaço, eu pudesse compartilhar um pouco dessas novas histórias e também contos, resenhas, crônicas da ficção e da vida de fato? Note que escrevo "vida de fato" – e, não, "vida real" – porque não acredito, de modo algum, que a ficção não faça parte da vida real. Ora, da minha vida real, ao menos, faz parte. E acredito que da sua vida, leitor ou leitora que me lê, também.


O Pergaminho, meu novíssimo blog, cujo primeiro post agora chega ao visor do seu celular ou à tela do seu computador, dependendo de onde você o lê, é este lugar. Não é meu lugar. É seu também. É nosso. Espero que os futuros pergaminhos contem as mais diversas histórias. Espero falar de livros (não só dos meus, isso seria muito chato!) e também de filmes, séries, personagens da ficção e da vida de fato. Espero trazer o que de melhor orbitar meu pensamento e, sobretudo, espero escrever do coração. Pena, tinta e mãos à obra, há muitos pergaminhos a escrever. Aguardem os próximos corvos!

37 visualizações0 comentário